Você é meu visitante de número

Blog criado em 09 de abril de 2009 Mais de 40 milhões de Acessos

contador de visitas gratis


+ de 38 milhões de acessos

+ de 38 milhões de acessos
Visitem!

Follow by Email

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Câncer de pele: um preço a se pagar por um corpo bronzeado nos dias quentes do verão

O SONHO DE UM CORPO BELO PODE VIRAR UM PESADELO

Por Sérgio Oliveira
aquinoticias@R7.com
Fotos: DIVULGAÇÃO 

Se você estiver por ai dando uns giros pelas cidades praianas, ouvindo “Quatro Cores”, do Grupo Catedral, significa que chegou o verão. É chegada a hora de tirar umas férias, aproveitar para mergulhar nas cachoeiras e praias do território brasileiro. 


A calçadense Thiely Fonseca de Almeida, 27 anos, mostra a beleza da Cachoeira da Fumaça, no município de Alegre (ES)

Mulher brasileira é sinônimo de pele bronzeada, chamada de ‘avião’, corpo de violão e capricho dos deuses, meio cor do desejo, meio cor do pecado com aquele dragão tatuado no peito, deixando os turistas com água na boca. Nada é de graça e toda vaidade tem um preço a se pagar. Entre ele está o câncer de pele, que é o tipo mais comum da enfermidade no planeta terra.






A calçadense Rayssa de Abreu Oliveira Fonseca, 24 anos, estudante, curtindo a Praia do Morro , em Guarapari (ES).  Usa o FPS 30

Pegar um bronze legal é saudável, mas no verão, com temperaturas altíssimas, a maioria dos banhistas não é precavida sob os efeitos nocivos do sol, esquecendo-se dos cuidados redobrados com a pele, principalmente na face, pescoço, colo e braços, que são áreas mais expostas no cotidiano. O organismo necessita de uma pequena quantidade de sol para produzir a vitamina D, a qual é menor do que aquela que produz o bronzeado, uma vez que o sol em excesso pode levar a uma variedade de problemas de saúde, incluindo câncer de pele e catarata.



A calçadense Thayná de Souza Silva, 18 anos, estudante, pegando aquele bronze em Guarapari, na Praia das Castanheiras. Usa o FPS 60

Conforme estimativa do Instituto Nacional de Câncer (Inca), órgão ligado ao Ministério da Saúde, somente em 2016, o Brasil deve registrar 175.760 novos casos desse tipo de câncer, sendo 80.850 em homens e 94.910 em mulheres, ou seja, final de férias e longa luta para travar contra o câncer de pele, o de maior incidência em todo o mundo. O excesso à exposição solar, segundo relatório a OMS (Organização Mundial de Saúde), causa cerca de 60 mil mortes por ano, em todo o mundo. Estima-se que mais de 90% da carga global de doenças como melanoma e outros cânceres de pele sejam causadas pela exposição à radiação ultravioleta, UV.

O médico João Batista Carvalho de Mattos explica que o sol em excesso em busca do bronzeado ideal não forma um casamento perfeito, atitude que pode ter um final triste, pois a exposição excessiva ao sol aumenta o risco de aparecimento de câncer de pele. E isso também inclui o grupo que tem pele clara e se submete ao bronzeamento artificial.


Dr. João Mattos alerta sobre os perigos em 'abusar' do sol quente

“Não só os banhistas estão sujeitos a desenvolver câncer de pele. Camelôs, vendedores ambulantes nas praias, trabalhadores da lavoura canavieira, colheitas diversas e do ramo da construção civil também são alvos fáceis de desenvolver câncer de pele, pois nem sempre estão usando protetor solar, chapéus, roupas longas e óculos”, enfatiza João Mattos.




Thiely Fonseca de Almeida, 27 anos, mestranda em matemática pura, pela Universidade Federal de Viçosa(MG), na praia de Bacutia, em Guarapari (ES). Usa o FPS 30


Segundo o médico que atua em São José do Calçado, Sul do Estado do Espirito Santo e Miracema, município do Estado do Rio de Janeiro, o câncer de pele do tipo não melanoma pode surgir em forma de ferida não cicatrizante, comum nas regiões da testa e nariz do idoso. E é bom ficar bem precavido com as lesões na pele que não cicatrizam, em áreas como pescoço, rosto, couro cabeludo, braços e mãos, uma vez que indiretamente podem ser sinal desse tipo de câncer. 

“Pessoas de meia-idade e idosos com certeza estiveram expostos ao sol durante boa parte da vida. Assim devem procurar o médico imediatamente. O melanoma é o mais agressivo e não escolhe idade. Ele surge em áreas sem nenhuma exposição ao sol, inclusive na planta dos pés (famosas pintas). O câncer de pele não melanoma é tratado com cirurgia simples. Já o melanoma a maioria das vezes precisa de tratamentos complementares, como quimioterapia e radioterapia”, fortalece.

O profissional esclarece que toda pele precisa de muito cuidado. “E o excesso de sol é o responsável por todos os fatores negativos atribuídos aos problemas de pele, como ressecamento, vermelhidão, queimaduras solares, alterações de cores, câncer de pele e o envelhecimento precoce, que faz que uma ninfeta de 15 anos pareça uma idosa”, frisa, indo mais além, dizendo que é preciso ficar prudente aos perigos e usar protetor solar continuamente, pois os raios ultravioletas estão cada vez mais agressivos.

“Recomendo que se evite a exposição solar entre as 10h e 16h. Use protetores e chapéus. O filtro solar tem que ser usado o ano todo. Moramos em um país tropical com diferentes espécies de câncer de pele, como os carcinomas basocelulares e os carcinomas epidermóides. Já a melanoma é o tipo mais preocupante, levando à morte sem um diagnóstico ou tratamento”, aponta.

Mattos, que exerce medicina desde novembro de 1994, esclarece os mitos e verdades sobre os perigos do sol para pele, dizendo que queimaduras solares frequentes durante a vida predispõem ao câncer de pele. Que é correto afirmar que o sol em excesso causa alterações no DNA das células, aumentando o risco de desenvolver câncer de pele. Que o não uso do protetor solar colabora para o aceleramento do envelhecimento, causando uma desestruturação no colágeno da pele, substância responsável por manter a pele jovem.

“Mesmo não estando na praia, tem que usar protetor solar. Nem sempre manchas e pintas na pele têm relação com o sol. É preciso fazer uma investigação no portador. Depende da predisposição da hereditariedade da pessoa ou até com alterações hormonais, como o uso de anticoncepcionais e a gravidez. Contudo o sol tem uma importante contribuição para o aparecimento de manchas, pois o sol sem proteção ativa a melanina da pele, causando pintas e sardas. Os raios solares são invisíveis. Os filtros solares devem ser usados até mesmo nos dias nublados, uma vez que 40 a 60% da radiação solar atravessam as nuvens”, lembra, fortalecendo que pessoas com manchas escuras (melasma ou cloasma), devem ter cuidado redobradas com o sol, e usar filtros com FPS (Fator de Proteção Solar) de 45 a 60, por sensíveis a quantidades mínimas de ultravioleta.


SINÔNIMO DE PELE SAUDÁVEL

João Mattos explica que embora a pele negra seja mais resistente (tem uma quantidade maior de melanina), o câncer de pele pode bater à porta de qualquer um. Sendo assim, o protetor deve ser sempre usado, e o fator mínimo de proteção é o FPS 15, que faz com que a pele leve 15 vezes mais tempo para ficar vermelha do que sem proteção. Pessoas ruivas e peles claras têm que ter maiores cuidados, pois são mais propensas ao câncer de pele. O protetor deve ser passado em quantidade normal por todo o corpo 30 minutos antes da exposição solar.

“A modernidade está sempre atrás de benefício total, mas é um veneno silencioso. Lâmpadas fluorescentes fazem mal para a pele. Elas emitem raios ultravioletas. Bonés e guarda-sol não substituem o protetor. São apenas um complemento ao protetor solar que protegem as orelhas, os olhos e os lábios, para os quais há protetores específicos, que não devem ser dispensados”, explana.

IDENTIFICANDO 

Ainda conforme João Mattos, o câncer de pele quando detectado precocemente pode ser tratado e o prognóstico pode ser positivo. Nos dias de hoje, somente pequena parte da radiação que incide no planeta Terra é barrada, pois o buraco na camada de ozônio está muito grande. 

“Pesquisas apontam que cerca de 5% dos raios UVAs são bloqueados, já os UVBs são impedidos em 95% dos casos. Os raios UVAs causam envelhecimento precoce e flacidez, entre outros pontos negativos. Já os raios UVBs são os principais provocadores do câncer de pele. Cuide bem da pele no verão, época que o corpo mais transpira. Tome bastante água para hidratar a pele. Pela manhã é preciso lavar o rosto e aplicar o filtro solar, mesmo que não se vá à praia, cachoeiras ou piscinas. Antes de dormir lave o rosto outra vez e passe um creme hidratante com vitamina C. Sabonetes devem ser aplicados somente nas axilas, nos pés e nos genitais. Desodorantes com alto poder antitranspirante precisam ser evitados em dias de muito calor, pois obstruem por demais as glândulas de suor e levam a infecções e a inflamações. As peles devem ser limpas com adstringente, já que o filtro solar tende a engrossar a camada córnea. Esfoliantes ficam proibidos, pois facilitam a formação de manchas. Para pessoas com foliculite a depilação não é uma boa opção, é preferível fazer o uso de lâminas. E quanto ao protetor solar é uma loção que consegue barrar os raios ultravioletas e reduzir os danos gerados à pele. Alguns protetores conseguem barrar tanto os raios UVBS quanto os raios UVAS, sendo, portanto, mais recomendados”, pontua.


Tópicos 

Após escovar os dentes pela manhã, passe o protetor solar antes de ir para os compromissos diários 



Da doença no mundo, o câncer de pele é o tipo mais comum. Veja os riscos de se esbaldar ao sol quentíssimo e os cuidados principais para evitá-lo.

TRATANDO BEM A PELE

- Sinais de alerta


.Pele machucada de difícil cicatrização


.Feridas que de tempo em tempo volta a sangrar


.Lesões rugosas que podem apresentar comichão, ardor ou dor


.Pintas com alterações na aparência


.Pintas com aparência de pipoca, assimétricas e de cor diferente.


. Nódoas escuras que modificam de cor e que desenvolvem com o passar do tempo

CARCINOMA BASOCELULAR


É uma neoplasia cutânea mais comum que representa quase 80% dos casos. Surge como uma lesão na pele, de cor translúcida, podendo ter pontos escuros e sangrar ou formar escuros com aspecto perolado, liso e brilhante, crescendo de forma lenta.


Surgem em áreas do corpo mais expostas ao sol. E o tratamento é feito por meio de cirúrgica, contudo dificilmente alastra pelo organismo.

CARCINOMA ESPINOCELULAR 


Corresponde a 15% dos casos. É relacionado a excessiva exposição ao sol, surgindo em formato de verruga ou nódulo avermelhado. Ocorre que pode ter áreas abrasivas e formar feridas não cicatrizantes. Cresce mais rápido, é mais agressivo e pode espalhar para a região do cérebro, pulmão e outras partes do corpo. Com cirurgia pode ser extraído.


























Nenhum comentário:

Postar um comentário